new ways – novos caminhos, novas formas de trabalhar

Estamos em janeiro de um novo ano, temos (pelo menos) 12 resoluções em mente para pôr em prática e outras tantas decisões empresariais para implementar. Estamos certos de que estão reunidas todas as condições para o sucesso. Estaremos totalmente convictos de que vamos cumprir o que planeámos?

Um dos principais fatores determinantes para a concretização é a colaboração. É das estratégias mais antigas que conhecemos e uma das mais debatidas e trabalhadas. Ao longo dos anos, as parcerias têm assumido formatos cada vez mais estruturados, previsíveis e também mais limitados. Estes modelos mais tipificados de colaboração, normalmente “prestações de serviços” ou “contratos”, são rápidos e eficazes, mas também tiram encanto ao processo e ao resultado da parceria, tiram espontaneidade e criatividade às trocas win-win da vida. Nas sociedades, nas cidades, nas empresas e até nas famílias vivemos cada vez mais isolados, e se pensarmos nas “resoluções” pessoais ou empresariais, todas elas lucrariam com ajuda externa, ou pelo menos, com uma outra colaboração. Ou teremos sempre de partir sozinhos do zero (ou das primeiras páginas do Google)?

Essa ajuda pode ter a forma de um conselho, de uma ferramenta ou app, de uma ideia que inspira, de uma troca de experiências ou da partilha de um insucesso. Peça apoio a parceiros diferentes de si (ou da sua empresa), aos mais improváveis, aos mais distantes, aos mais experientes. Chame à conversa os parceiros, os clientes, os concorrentes, os fornecedores, as startups do setor ou da comunidade, etc. Não receie pedir apoio. Não receie também oferecer apoio. Felizmente, as empresas já começam a olhar para o seu ecossistema assumindo que os outros players não são apenas competitors mas que podem ser parceiros ou advisors. E estas alianças poderão trazer outras: hoje duas empresas podem partilhar ideias e amanhã recursos, serviços, espaços ou clientes.

Na Randstad andávamos há um tempo a pensar numa nova career solution ligada a percursos profissionais inter-empresariais, quando se abordou este tema na última Conferência da Human Resources, de uma forma tão descomplicada e positiva, que nos fez ganhar nova energia para desenvolver o conceito. Tão interessante foi a ousadia ao trazer ao palco as “carreiras multi-empresas”, como a reação dos profissionais de RH que o ouviam. Quando ouvimos um profissional dizer que lhe faz sentido implementar esta iniciativa out of the box - encorajar o colaborador a trabalhar noutra empresa e a regressar ao fim de meses ou anos – para garantir a felicidade e motivação do mesmo, a retenção do talento certo na sua organização e assegurar na sua empresa-parceira as competências e experiência de que precisa no momento, abrem-se um conjunto de possibilidades que só podem beneficiar as empresas e o país.
Depois disto, com toda a naturalidade, assumimos que a par das soluções que propomos implementar e integrar – recrutamento especializado, staffing, outsourcing, redeployment, outplacement, expatriate family support, active golden age, human consulting, entre outras – desafiaríamos também os nossos clientes e candidatos a pensar nas carreiras multi-empresas, redesenhando a relação empresa-colaborador com uma visão mais aberta e estratégica.

Liderar em 2030, em terreno desconhecido e imprevisível, à descoberta de competências desaparecidas ou ainda por inventar, terá de incluir estas e outras experiências colaborativas, que ligam (de um modo que hoje nos parece estranho), numa rede complexa, os elementos que antes se estruturavam numa cadeia linear. Se as empresas estão a transformar completamente os estilos de liderança, os modelos de trabalho e os negócios, faz sentido que as relações de colaboração também se alarguem, se aprofundem e se repensem.
Nós aceitamos o desafio! Deste lado, ficamos muito entusiasmados e honrados se contar connosco para trocar ideias consigo ou com as suas equipas. E faremos o mesmo… contamos também com todo o apoio dos nossos clientes, candidatos, parceiros e com o seu! 2019 é um ano de soluções diferentes, prováveis e improváveis e… de sucessos. 

Filipa Alves Peixoto
Outplacement & Career Counseling, Randstad Portugal

Filipa Alves Peixoto

Outplacement & Career Counseling, Randstad Portugal