O mundo do trabalho está a mudar, os planos estão constantemente a ser alterados e as pessoas são forçadas adaptar-se a tempos desafiantes.
Empresas um pouco por todo o mundo estão a pedir aos seus colaboradores para trabalharem a partir de casa. Lideres estão a adaptar-se a gerir remotamente, e todos estamos a começar a aceitar que contactos virtuais são o novo normal.


À medida que o mundo do trabalho muda, a forma como as empresas identificam, avaliam, contratam e integram novos colaboradores irá também sofrer alterações. 
No que toca a recrutar novos talentos, a gestão de processos de recrutamento de forma virtual começa a ser para muitas empresas um processo já habitual, mas uma parte potencialmente desafiadora neste processo é garantir uma experiência de candidato positiva.


Em tempos incertos como os que vivemos, a experiência do candidato nunca foi tão importante. Com cenários de recessão a ser divulgados diariamente, e com a perda generalizada de empregos um pouco por todo o mundo, os candidatos procuram mais do que nunca empregadores que lhes transmitam confiança e que demonstrem uma preocupação real pelas suas necessidades e motivações.


Como podemos então garantir uma experiência de candidato positiva durante este período atípico?

 

  • Manter o contato. Muitas empresas estavam no meio de processos de recrutamento quando a crise do COVID-19 despoletou. Estamos a passar por esta pandemia juntos, e o pior que podemos fazer é cortar a comunicação com os candidatos. Estes saberão que estamos perante circunstâncias excecionais e sob as quais não temos total controlo, mas sentirão uma maior segurança em nós enquanto empregadores se os mantivermos a par da evolução do processo de recrutamento ou da situação da empresa. Manter as nossas plataformas atualizadas é também importante para que as pessoas saibam que a nossa empresa está ativa, mesmo em tempos incertos. 
     
  • Não esquecer o toque humano. É certo que é mais difícil agora contactar com os candidatos pessoalmente, mas isso não significa que não possamos fazer com que a sua experiência seja personalizada e humana. Emoções e intenções podem perder-se num contacto escrito, sendo por isso mais do que nunca valorizarmos o poder de uma chamada telefónica. Devemos deixar os candidatos à vontade para colocar questões e partilhar as suas preocupações em todas as fases do processo de recrutamento.
     
  • Segurança primeiro lugar. Caso ainda mantenha processos de recrutamento ativos, tenha em consideração as precauções de segurança atuais. Aposte numa experiência virtual de candidato, num mundo digital há muito que podemos fazer. Realize entrevistas por telefone e aposte em plataformas virtuais para videoconferências. 
     
  • Empatia acima de tudo. É importante perceber que a realidade e circunstâncias dos candidatos podem mudar rapidamente, e que isso por si só já é fator de ansiedade e tensão. Ter empatia perante essas situações irá resultar numa imagem positiva enquanto empregador, e contribuirá para uma experiência positiva do candidato. 
     
  • Maior cuidado no onboarding. Os primeiros dias de trabalho tipicamente são períodos de maior nervosismo e preocupação. Integrar uma nova empresa no meio de uma pandemia e num modelo de trabalho remoto está por isso longe de ser o ideal, tornando a integração de novos profissionais durante a crise do COVID-19 um processo ainda mais crucial. É importante tornar este processo o mais pessoal possível e garantir que os novos profissionais se sentem acompanhados.


Se há algum aspeto positivo nesta fase de isolamento, é o facto de nunca antes termos tido tanto tempo nas nossas mãos. É por isso um ótimo momento para investir na (re)definição de processos e, num momento em que o mercado está muito voltado para a automatização de processos, garantir que a experiência do candidato é uma prioridade.

escrito por
woman

Daniela Ferreira

consultant, engineering & industry, professionals, randstad portugal