É certo que os recentes eventos tiveram impacto nos planos de recrutamento de muitas organizações. A grande maioria focou-se em ultrapassar a crise criada pelo Covid-19, muitas viram a sua atividade parada e os seus colaboradores isolados. Essa paragem significou também para muitas o congelamento da contratação de novos elementos para as suas equipas e até uma paragem temporária dos seus planos de expansão de negócio, de forma a poderem focar-se na gestão diária da sua operação, garantindo a sua subsistência e a segurança dos seus colaboradores.


É porém importante acreditar que a tempestade irá passar, e que muito em breve poderemos ter de pensar em atrair novos talentos novamente.
Muitas empresas têm neste momento os seus colaboradores a trabalhar remotamente, eliminando assim o tempo gasto em deslocações para o trabalho, e em muitos casos os seus negócios poderão estar mais calmos do que o habitual enquanto o mundo recupera. Por essa razão nunca houve melhor altura para (re)pensar a nossa estratégia de recrutamento e planear para quando melhores dias vierem. 


Não obstante de recrutar poder não ser a prioridade para a maioria das empresas neste momento, há certas coisas que podemos fazer para assegurar que partimos em vantagem quando tudo voltar ao (novo) normal. 
Podemos assegurar-nos que, quando a altura certa chegar, estamos preparados para contratar as melhores pessoas para as nossas equipas e garantir uma vantagem competitiva em relação aos nossos concorrentes.  


É por isso importante identificarmos as áreas na nossa empresa onde iremos querer crescer, mapeando o talento da nossa organização para ter um maior entendimento das competências que poderão estar a faltar, redefinindo assim os nossos planos de recrutamento a curto, médio e longo prazo. 


Aproveitar este tempo para analisar o nosso employer brand é igualmente crucial e, em tempo de crise, esta é uma oportunidade para muitas empresas reforçarem a sua marca de empregador no mercado. Construir um employer brand forte durante este isolamento poderá ajudar a atrair talento com maior facilidade quando essa tarefa voltar a ser prioritária.  


E, mesmo podendo não ser prioritário recrutar neste momento, isso não nos impede de criar uma rede de contactos para o futuro. Os processos poderão não reabrir até os nossos negócios estarem mais estáveis, e os candidatos irão entendê-lo, contudo é critico que possamos criar uma pool de candidatos para as posições que iremos querer recrutar em breve, e garantir que mantemos uma relação próxima com esses candidatos para que, quando o momento chegar, consigamos desenvolver os nossos processos de recrutamento com maior agilidade.


Para algumas empresas uma crise global poderá não ser a altura perfeita para contratar, contudo é a altura ideal para planear o futuro!
 

escrito por
woman

Daniela Ferreira

consultant, engineering & industry, professionals, randstad portugal