Como homem homosexual e CHRO da Randstad, tenho pensado durante muito tempo sobre se deveria fazer uma declaração pública sobre a minha experiência. Ultimamente tenho sido inspirado por pessoas que tomaram uma posição e se orgulharam publicamente de quem são. Isto também foi para mim um sinal para fazer o mesmo e estar presente para outros membros da comunidade LGTBQ+.  

Vivemos num mundo em constante mudança, com novos e velhos desafios. Como vimos recentemente, ainda é necessária uma maior atenção ao tema da não discriminação na nossa sociedade. Em particular, o mês do Orgulho e o Orgulho de Amesterdão fizeram-me pensar no meu papel pessoal na criação de um ambiente em que os membros da comunidade LGTBQ+ possam ser quem realmente são. 

Tenho o privilégio de trabalhar para uma empresa onde a não discriminação foi abraçada durante muito tempo. Durante os meus (quase) 20 anos de mandato na Randstad, nunca me senti em desvantagem e tenho tido poder. Fui sempre apoiado por líderes e colegas que me trataram com respeito por quem sou como pessoa, que valorizaram o meu desempenho e a minha contribuição para o negócio, e que me deram oportunidades de crescer.

Contudo, com toda a honestidade, nem sempre tem sido uma viagem fácil. Senti muitas vezes a necessidade de lidar com certas situações de forma diferente porque sou homossexual. Como homossexual, é preciso "revelar-se" constantemente, sempre que se muda para um novo ambiente, uma nova equipa, ou conhecer novas pessoas. Há alturas em que tem de responder a perguntas que os heterossexuais nunca terão de responder ou corrigir suposições feitas sobre o que faz e não gosta, quer isso tenha a ver com desporto, entretenimento ou alguma outra faceta da sua vida.

Ao mesmo tempo, chegámos até aqui. 

Hoje vivemos num mundo onde as pessoas que são abertamente membros da comunidade LGBTQ+ podem liderar nações (Luxemburgo e Sérvia e anteriormente Bélgica, Islândia e Irlanda) e ser líderes de corporações globais (Apple e Dow Chemicals). Ou - como eu - trabalhar para a Randstad, uma empresa que está à altura dos seus valores e que sempre me permitiu ser eu próprio e me apoiou na realização do meu potencial. Durante algumas das situações mais difíceis, a Randstad e os meus colegas têm sido uma fonte de apoio inabalável. 

Este ano, Randstad criou uma declaração em vídeo apoiando a igualdade para todos, incluindo membros da comunidade LGTBQ+. Com esta declaração pessoal, quero também confirmar esta mensagem e oferecer o meu apoio a qualquer indivíduo que lute para ser quem sabe que é. Orgulhem-se - vocês são únicos e isso deve ser celebrado!!

Versão traduzida da declaração.

about the author
Jos Schut

Jos Schut

director global de recursos humanos

Jos Schut é o CHRO da Randstad Global. Está com Randstad desde 2001 a trabalhar em diferentes funções em todo o mundo, incluindo ser o HRD para o Reino Unido e Médio Oriente, Austrália e Nova Zelândia e CHRO para Randstad Ásia Pacífico. O seu papel permite-lhe concentrar-se no seu principal objectivo; assegurar-se de que as pessoas e as organizações estão aptas a viver até ao seu pleno potencial. Jos é licenciado em Economia e Logística.