Monotonia. Até os colaboradores mais empenhados podem experimentá-la quando confrontados com tarefas enfadonhas. E acontece em todas as funções, em umas mais do que noutras. William Arruda, co-fundador da CareerBlast e criador do questionário completo do LinkedIn que ajuda a avaliar o perfil no LinkedIn e a vossa estratégia de networking dos profissionais, acredita que é possível mantermo-nos inspirados, mesmo quando é preciso fazer tarefas mais aborrecidas. E identificou-as na Forbes.

Mesmo com os incríveis avanços na inteligência artificial, os humanos ainda não encontraram uma forma de eliminar tarefas tão odiadas como responder a emails, lidar com clientes difíceis e tratar da folha de pagamentos. No entanto, as tarefas aborrecidas não têm de sugar a alegria dos colaboradores.

Para ultrapassar a sensação de desmotivação quando chega a altura de enfrentar tarefas pouco agradáveis e rotineiras, o primeiro passo é analisar a nossa mentalidade. É mais fácil do que se pensa permanecer inspirado, mesmo que seja para actualizar aquela enorme base de dados pela quinta vez num mês. Eis quatro formas de vencer o marasmo.

1. Procurem magia no mundano

Com a ajuda dos colegas de trabalho, reformulem os vossos esforços e vejam-nos de um ponto de vista fresco e interessado. David Disiere, fundador e CEO do QEO Insurance Group, recorre aos colegas para encontrar o que chama de "a magia no mundano".

Por exemplo, Disiere recebe um relatório de auditoria anual, que resume as informações que vê regularmente ao longo do ano. Depois, usa os dados para iniciar conversas com os seus colegas de trabalho sobre itens de maior dimensão, em vez de simplesmente olhar para os números para retirar a tarefa da lista de coisas a fazer. «Ouvindo verdadeiramente os colegas de trabalho e colaborando com eles, podemos descobrir novas ideias e inovações», explica Disiere. «É uma óptima forma de mudar a rotina e mostrar à equipa que se importam.»

2. Combinem trabalhos aborrecidos com coisas que vos agradam

Quantas vezes já sintonizaram as vossas listas do Spotify ou ouviram um podcast preferido enquanto cortam a relva ou limpam a casa? Apliquem essa mesma fusão de prazer e dever a tudo o que está na sua lista de afazeres – especialmente para as tarefas que estão sempre a adiar.

Por exemplo, se gostam de jogos como hobby, porque não criar um sistema de recompensa para vos ajudar a motivar? Se completarem uma tarefa que normalmente não vos agrada dentro de um período de tempo desejado – e bem feita, claro – recebem um "prémio". Ao receberem pequenas recompensas, irão sentir motivação para acabarem as tarefas mais rotineiras. Além disso, acabarão por estimular a vossa criatividade, procurando continuamente formas interessantes de se manterem presentes e alertas.

3. Alternar entre tarefas mundanas e inspiradoras

Em vez de fazerem todas as coisas que gostam de fazer e deixarem as que não gostam para o fim do dia, alternem entre responsabilidades. Saltar regularmente das tarefas principais favoritas para as menos agradáveis impede-vos de chegar a um impasse e de terem um período de trabalho desinteressante.

Comecem todas as manhãs por organizar o dia. Coloquem tarefas aborrecidas entre as que melhor aproveitam os vossos pontos fortes. Certifiquem-se de que as últimas tarefas se enquadram na categoria de "agradáveis". Terão sempre algo por que ansiar, e sairão do escritório mais animados.

4. Aprendam algo novo ou desafiem-se a vocês próprios.

Agir como uma esponja e não como um bot melhora o poder cerebral, limitando o enfado. Como Maureen Metcalf, da empresa de consultoria de gestão Metcalf & Associates, sugere: «Se não se sentirem suficientemente motivados, podem assumir mais responsabilidades ou aprender uma nova capacidade. A aprendizagem é muitas vezes um grande antídoto para o tédio, e pode preparar-vos para um próximo cargo mais desafiante.»

Pensem em formas de pensar ou motivar enquanto se envolvem em tarefas que preferem não fazer. Odeiam enviar facturas? Procurem software ou processos que possam tornar o trabalho mais eficiente ou que vos ensinem algo.

Ninguém disse que o vosso prato de trabalho seria preenchido apenas com alimentos saborosos. Têm de equilibrar a sobremesa com um prato principal nutritivo. Quanto melhores forem a aproveitar ao máximo o que têm, mais saudável, mais feliz e mais completo será o vosso colaborador.