Lisboa, 19 abril, 2021 – Dos mais de 27 mil colaboradores ouvidos pela Randstad, a grande maioria (75%) está disposta a receber a vacina, caso assim seja necessário, para continuar o seu trabalho. Esta é uma das principais conclusões do Workmonitor 2021 divulgado pela Randstad.

A vacina parece ser assim uma garantia para os trabalhadores se sentirem mais seguros no regresso ao local de trabalho e a maioria acredita que isso irá melhorar as suas futuras oportunidades de emprego. 56% acredita que terão mais oportunidades no futuro se estiverem vacinados.

Pouco mais de metade (53%) dos inquiridos respondeu que só vai sentir segurança no local de trabalho quando os colegas de trabalho também forem vacinados, um dado que vai em linha com os 51% que preferem continuar a trabalhar em casa até que a vacina tenha sido distribuída de forma generalizada.

A pesquisa feita pela Randstad a nível global mostra que apenas cerca de um quarto (24%) dos trabalhadores são obrigados pelo empregador a serem vacinados. A percentagem mais alta (41%) está na Ásia e a mais baixa está no Sul da Europa e Europa de Leste (ambas com 16%).

Motivação renovada para continuar a trabalhar

Há uma boa notícia as empresas: com base no apoio que as organizações têm vindo a oferecer, a maioria dos trabalhadores planeia permanecer ligado aos atuais empregadores a longo prazo. 30% dos inquiridos afirmam que estão motivados para trabalhar mais e mostrarem-se mais produtivos. E o número de trabalhadores que disse que escreveria uma crítica positiva sobre a sua experiência de trabalho superou aqueles que escreveriam uma crítica negativa por uma margem de 3 para 1.