No contexto social actual o consultor de recrutamento viu-se obrigado a utilizar a sua forte capacidade de adaptação para desenvolver novas competências e abraçar novas responsabilidades.

Vivemos pela primeira vez na história contemporânea uma paragem abrupta na lógica da oferta e da procura que rege a nossa economia. Por consequência, as necessidades de recrutamento deixaram de existir, e surge a questão: então e agora?

A lógica de planeamento e mapeamento de necessidades de recrutamento parou e deu lugar à preocupação com a retenção, prevenção e segurança dos colaboradores já existentes. Assim sendo, é importante reflectir sobre as mutações a que o mercado de trabalho foi sujeito e em qual poderia ser o papel do consultor de recrutamento no futuro.

Mais do que nunca, a pandemia que atravessamos obrigou-nos a criar soluções para a mudança constante nos processos e antecipar as necessidades dos nossos clientes. Prever potenciais necessidades e trabalhar com uma abordagem positiva sempre no sentido de preparar a retoma levou ao envolvimento do consultor de recrutamento na estratégia para o regresso à normalidade. 

Até agora, a solução passou por nos colocarmos ao lado das restantes áreas da empresa, como parceiros, o que possibilita ao consultor desenvolver uma visão mais ampla do seu papel dentro da organização como arquitecto da mudança. Ser consultor hoje em dia requer não só talento como também sentido de missão na gestão de carreiras e pessoas.

O papel do consultor enquanto avaliador de competências sai reforçado no panorama actual tanto pela necessidade de aprimorar processos de avaliação de competências no contexto de teletrabalho, como pela análise e avaliação de colaboradores com vista à requalificação de competências. 

De facto, podemos defender a ideia de que as adversidades que o contexto actual criou levaram a que o trabalho de consultor saísse reforçado e requalificado. Não só o consultor de hoje desenvolveu competências de previsão e planeamento, como também reconverteu todo o processo de recrutamento para a esfera digital. As exigências  provenientes do distanciamento social, a preocupação dos clientes na retoma das actividades  e a nova realidade do teletrabalho, levaram a que fossem criadas  novas formas e métodos de recrutar e avaliar competências a partir de plataformas digitais e à distância. 

Já o consultor do “amanhã” prevê-se que tenha um perfil multidisciplinar, focado e orientado para a atenção ao candidato e gestão de carreiras por um lado e por outro irá constituir um verdadeira parceiro para com o cliente, aplicando os seus conhecimento de mercado para apoio e consultoria aos clientes.

A sua visão transversal, a apetência para criar soluções, serão valências cada vez mais procuradas no mercado de trabalho do novo normal, onde o consultor de recrutamento terá um papel estratégico preponderante. 

escrito por
Andreia Silveira

Andreia Silveira

recruitment team leader, randstad portugal