o segredo para recrutar perfis de IT

Nos últimos anos, com o aumento do dinamismo da economia e redução da taxa de desemprego em Portugal (que terá ficado nos 7% em 2018), os desafios de recrutamento são cada vez maiores. E o sector das tecnologias de informação representa um desafio ainda maior.

Há diversos estudos que mostram uma enorme escassez de engenheiros informáticos no mercado. Na Europa, faltam centenas de milhares e em Portugal a tendência é equivalente e em crescente.

Há um conjunto de empresas internacionais que estão a criar centros de competência, fábricas de software e afins em Portugal. São óptimas oportunidades para empresas de recrutamento, mas que vêm aumentar ainda mais a procura por estes perfis.

Como responder a esta necessidade?

Qual o papel das empresas de recrutamento que têm esta especialização?

Relação e relevância são as palavras chave. Trabalhar todos os dias reconhecendo os stakeholders que são parte integrante desta comunidade: candidatos, empresas, parceiros, universidades, etc.

Trabalhar todos os dias a relação com transparência e verdadeiras propostas de valor. Recrutar pessoas que recebem semanalmente várias ofertas de emprego assumindo um papel de gestores de carreira e contrariando a imagem tradicional da relação entre o consultor e o candidato.

Aqui o talento está no centro de toda a estratégia e é cada uma destas pessoas que é trabalhada e que tem de ser acompanhada.

Para as empresas que recrutam estes perfis, a missão diária é bastante estimulante. A abordagem em todos os momentos do processo tem que ser diferenciada, profissional, positiva e aliciante. Só assim é possível atrair os melhores candidatos.

Para conseguir atrair os melhores é preciso também estar envolvido em projectos interessantes, em empresas focadas na criação de valor. Este deve ser o trabalho de um consultor 360, esta relação com candidatos, empresas e colaboradores.

Estas equipas devem também ter know-how sobre as diferentes tecnologias. Conhecer e reconhecer o mercado, as  tendências e as ferramentas. Este conhecimento vai permitir o diálogo e a relação com os talentos.

Recrutar é sempre um desafio mais ainda quando o mercado é guiado pelos candidatos. Mas esta realidade não deve ser assumida como uma barreira, acreditamos que cada vez mais o talento vai ser o driver de qualquer área e o foco nas pessoas é sempre o que faz verdadeiramente a diferença.

Pedro Passos

Business Unit Manager, Technologies & Shared Service Centers | Outsourcing, da Randstad Portugal