mudar de país (não) tem de ser difícil

Ir trabalhar para outro país é uma decisão importante que muda completamente a vida de quem a toma. Requer, por isso, consideração. Depois de decidir ir, há alguns conselhos que o vão ajudar no processo de mudança. Jacquelyn Smith identificou-os, na revista Forbes.

 

Mesmo que se esteja muito animado com a nova posição ou empresa, mudar de casa, e de geografia, é sempre complicado e stressante. Mas o que torna o processo tão complicado? Ryan Kahn, career coach e fundador do The Hired Group, autor de Hired! The Guide for the Recent Grad, afirma, entre outras coisas, que o processo requer que encontremos um novo lugar para chamarmos de “casa”, conhecer um novo ambiente e construir uma nova rede de apoio – tudo ao mesmo tempo.

O processo torna-se ainda mais complicado se envolver a família. Para um casal de dois trabalhadores há um desafio acrescido: encontrar emprego para o parceiro ou cônjuge. E se tiverem filhos, outra preocupação será provavelmente a sua transição para um novo ambiente.

É extremamente difícil estar 100% focado no novo trabalho enquanto se lida com todas as logísticas da mudança. Para uma transição bem-sucedida, alguns passos que deve tomar são:

- Organize-se: muito do stress relacionado com a mudança vem da gestão de toda a logística, entre deixar a casa onde está e encontrar uma nova. Tente organizar-se. Mantenha uma “lista de coisas para fazer” para a partida e chegada.

- Saiba o que tem disponível: várias empresas oferecem serviços de Relocation e a maioria é flexível naquilo que oferece. Dedique algum tempo a perceber o que está disponível para si – e use-o. Por exemplo, algumas empresas pagam por coisas como viagens de procura de casa, transporte dos veículos, assistência na venda e compra da casa, ou ajuda no arrendamento de propriedades. Podem ser também capazes de ajudar o seu parceiro com a procura de emprego.

 

- Se a sua empresa não costuma oferecer assistência na mudança, peça-a: se esta assistência não lhe for dada, não tenha medo de negociar. Comece por pesquisar os custos (aluguer de camiões, orçamentos de empresas de mudanças, despesas de transporte, alojamento temporário, storage), para poder apresentá-las ao seu empregador com uma estimativa detalhada de quanto todo o processo vai custar. Esta informação de suporte é crucial para o sucesso do pedido. Também pode perguntar sobre prestadores de serviços recomendados, quando forem discutidas as empresas de relocation e agentes imobiliários. O reembolso pelo processo pode depender do uso dos profissionais designados, com quem a empresa tenha parcerias.

 

- Tire um tempo para conhecer o novo ambiente: se tiver tempo para explorar a nova área, antes de chegar, faça-o, explore os bairros, para ter a certeza de que encontrou um local que encaixa com o seu estilo de vida. Se tal não for possível, use o tempo para falar com pessoas que vivem lá, e conseguir o máximo de perspectivas possível. Também deve ler os jornais locais e blogues que falem da zona, para conhecer melhor a nova cidade.

 

- Saiba o custo de vida da nova cidade: existem diferenças significativas no custo de vida entre cidades. Tipicamente, estas serão compensadas pelo seu salário, mas ainda é importante averiguar. Faça a pesquisa e planeie.

 

- Não faça compromissos a longo prazo: optar, primeiro, pelo arrendamento é uma óptima forma de assentar numa nova cidade, sem compromissos a um bairro de que pode não gostar. Um erro comum de muitas pessoas quando se mudam é comprar logo uma casa ou estabelecer compromissos com um contrato de arrendamento a longo prazo imediatamente, e mais tarde perceberem que não gostam do bairro, ou do emprego.

Procure empresas de arrendamento temporário. Algumas empresas oferecem apartamentos ou condomínios por um período de tempo fixo que permite a familiarização com o novo lugar, e assim tomam uma decisão informada.

 

- Construa uma rede social de apoio: procure fazer novas amizades e networking. Pode usar serviços online para encontrar eventos e grupos que partilhem os mesmos hobbies e interesses. A sua empresa tem algum clube ou grupo? Se sim, também é uma oportunidade. Quanto mais rapidamente construir um grupo de apoio, mais depressa se sentirá em casa. Vai fazê-lo sentir-se mais com os pés assentes na terra e mais feliz, o que melhora a performance no trabalho.