portugueses já compram online?

Um estudo da Mastercard sobre comércio online, revela que 90% dos portugueses fazem compras online. No entanto, apenas 30% faz essas compras pelo menos uma vez por mês, com outros 30% a revelar que o fazem a cada 2/3 meses. De ter em conta também que o estudo, realizado em parceria com a IPSOS/APEME em Fevereiro de 2019, teve por base um questionário online, resultando num maior peso de habilitações superiores e de rendimentos líquidos mensais mais elevados aos da média nacional.

O comportamento identificado é idêntico nas várias gerações e os artigos que mais compram provêm de lojas de roupa, calçado e acessórios (reúne 21% das preferências, seguindo o ebay, com 20%, e a Fnac, com 18%, curiosamente com os mesmos valores do site chinês Aliexpress).

A forma de pagamento mais utilizada nestas compras ainda é a referência bancária. O cartão virtual é o segundo método de pagamento mais utilizado (35%), seguido, pelo cartão de crédito (29%) e a transferência bancária (18%).

No domínio do Turismo e Lazer, 81% dos portugueses refere comprar online viagens e reservar estadias, pagando maioritariamente com cartão de crédito (42%). Mas quando vão de férias, cerca de metade dos portugueses levanta dinheiro para levar consigo (cerca de 10% levanta dinheiro no destino e cerca de 35% paga as despesas com cartão).

Em relação à mobilidade, apenas 28% dos portugueses afirmam ter apps para este efeito, sendo que, destes, 87% prefere a Uber.

No que respeita às carteiras virtuais, 80% dos portugueses utiliza-as para as suas compras online e a preferida é a Paypal (71%).

Paulo Raposo, director-geral da Mastercard em Portugal, acredita que «estes números são um bom indicador, mas ainda muito modesto, sobretudo se tivermos em consideração o ritmo impressionante a que o comércio online está a crescer. Por outro lado, a utilização, também crescente, de smartphones, tablets ou outros dispositivos móveis com pequenos ecrãs vai, com certeza, alterar radicalmente este panorama em Portugal nos próximos anos», acredita.