cinco livros de 2018 recomendados por Bill Gates

No Natal, o fundador da Microsoft gosta de dar e de receber livros. Como já é habitual, fez uma lista dos livros que mais gostou de ler no ano que agora termina. E é bastante eclética: de um guia sobre “como fazer” meditação a uma incursão no mundo das armas automáticas, passado por um thriller sobre a queda de uma empresa promissora.

Na primeira pessoa, Bill Gates partilha o porquê das suas escolhas:

- “Uma educação”, de Tara Westover. «Tara nunca foi à escola ou teve uma consulta com um médico até sair de casa, aos 17 anos de idade. Nunca pensei identificar-me com uma história sobre crescer num lar mórmon, mas ela é tão boa escritora que me fez reflectir sobre a minha própria vida ao ler sobre a sua infância extrema. Eu e a Melinda adorámos esta autobiografia, de uma jovem cuja vontade de aprender era tão grande que acabou por tirar um doutoramento na Universidade de Cambridge.»

- “Army of None”, de Paul Scharre. «Armas autónomas não é algo em que as pessoas pensem muito na altura do Natal, mas esta análise estimulante à Inteligência Artificial na guerra, é difícil de abandonar. É um tópico muito complicado, mas Scharre oferece explicações claras e apresenta os prós e os contras de uma guerra de máquinas. O seu domínio em relação ao tópico não surpreende: é veterano e ajudou a conceber a legislação norte-americana sobre armas autónomas.»

- “Bad Blood”, de John Carreyrou. «Alguns dos meus amigos recomendaram-me este livro. Carreyrou dá-nos um olhar a partir de dentro à ascensão e queda da Theranos. A história é ainda mais louca do que esperava, e dei por mim a ser incapaz de pousar o livro. Este livro tem tudo: esquemas elaborados, intriga empresarial, histórias de capa de jornal, relações familiares arruinadas e a queda de uma empresa que chegou a estar avaliada em quase nove mil milhões de euros.»

- “21 Lições para o Século XXI”, de Yuval Noah Harari. «Sou grande fã de tudo o que Harari escreveu, e a sua última obra não é excepção. Enquanto “Sapiens – História Breve da Humanidade” e “Homo Deus – História Breve do Amanhã” cobriram o passado e o futuro, respectivamente, este é sobre o presente. Se 2018 vos deixou sufocados por causa do estado do mundo, “21 Lições” oferece uma estrutura útil para processar as notícias e pensar nos desafios que enfrentamos.»

- “Meditação e Mindfulness – 10 minutos por dia podem fazer a diferença”, de Andy Puddicombe. «Se tivesse 25 anos se calhar ria-me ao olhar para este livro, mas eu e a Melinda temos ultimamente apostado na meditação. O livro começa com a viagem pessoal de Puddicombe de estudante universitário a monge budista e a coach de meditação. Se estão a pensar em experimentar mindfulness, é o início perfeito.»