a cultura de um unicórnio português

Em Junho passado, a tecnológica que, em 2001, começou numa garagem em Linda-a-Velha, alcançou o estatuto de “unicórnio”. Alexandra Líbano Monteiro garante que «só com uma cultura forte, com equipas inovadoras e motivadas», a OutSystems consegue sustentar este crescimento.

 

A OutSystems nasceu com um grupo de cinco fundadores que inventaram um produto que pretende revolucionar a indústria de software em Portugal e no mundo, Além do escritório português, que saiu da garagem mas continua localizado em Linda-a-Velha, a tecnológica tem agora instalações nos Estados Unidos (Atlanta e Boston), Reino Unido, Holanda, Emirados Árabes Unidos, Singapura, Japão e Austrália. Apesar deste crescimento, mantém uma cultura de proximidade com os colaboradores.

 

Quais os principais pilares da estratégia de Recursos Humanos da OutSystems?

O primeiro pilar é reforçar o propósito, a visão que existe para o produto, a plataforma OutSystems, conscientes que estamos a trabalhar para algo maior: resolver o grande problema de ineficiência dos departamentos de Tecnologia de Informação (TI) das empresas. O que vemos muitas vezes hoje são departamentos de TI ineficientes onde os projectos implicam períodos de desenvolvimento extensos e tipicamente com taxas de satisfação dos utilizadores finais muito baixas. A OutSystems garante a plena adequação das aplicações às necessidades de negócio e uma elevada taxa de adopção final por parte dos utilizadores.

O segundo factor é o contexto de empresa com um produto inovador e orientada à inovação. Uma empresa que nasce com um grupo de cinco fundadores que inventaram um produto que pretende revolucionar a indústria de software em Portugal e no mundo. Sermos um contexto de inovação e mudança constante leva também a uma aceleração de crescimento de skills, de aprendizagem e de enriquecimento pessoal.

O terceiro pilar é a nossa cultura. Os comportamentos que todos partilhamos e acreditamos serem motor de qualidade e eficiência, dão sentido ao trabalho que realizamos, porque o tornam mais interessante e promovem crescimento pessoal e profissional de indivíduos e equipas.

É ainda importante explorar o facto de sermos uma empresa global, com uma diversidade grande de perfis e backgrounds, num estágio onde cada um pode fazer a diferença. Essa interdependência, essa exposição, esse desafio, gera crescimento profissional e muito entusiasmo.

 

Que práticas ou iniciativas destacaria como mais inovadoras?

Destaco a “Careers Week” como uma das iniciativas mais inovadoras da OutSystems. Esta é uma semana com palestras motivacionais realizadas quer por pessoas internas quer externas. É uma forma de dar a conhecer o programa das várias áreas dentro da empresa, e desenhar a progressão de carreira que cada um dos nossos colaboradores pode seguir.

Outra iniciativa importante é a disponibilização de cursos específicos para os colaboradores evoluírem profissionalmente. Destaco ainda a performance review anual, que consiste em dar feedback específico a cada colaborador, tendo por base o código de conduta interno, o chamado “Small Book of the Few Big Rules”, que pode ser encontrado online.

 

O que é que os colaboradores mais valorizam?

A flexibilidade de horários e a possibilidade de trabalhar remotamente são práticas comuns dentro da OutSystems bastante valorizadas pelos nossos colaboradores.

 

Em termos de Gestão de Pessoas, quais serão as vossas próximas apostas?

O futuro passará por reforçar as práticas que nos distinguem como empregador e adicionar uma tónica especial à definição de objectivos e do respetivo reconhecimento, com muito ênfase no feedback e nos planos de desenvolvimento individual. Num contexto de mudança como aquele em que operamos, precisamos de modelos ágeis de orientação a objectivos e métricas, mas acima de tudo precisamos de formas de acelerar contributo e garantir que as pessoas crescem desenvolvendo competências neste caminho.  Curiosament,e são estes também aspectos fundamentais da motivação: atingir resultados, ser reconhecido por isso e aprender muito nesse caminho.

 

Qual a importância estratégica que esta a Gestão de Pessoas assume no negócio? Conseguem perceber resultados concretos?

É a aposta nas pessoas que nos tem feito crescer ao longo destes últimos 18 anos e para que hoje sejamos referenciados como “unicórnio”. Os colaboradores querem contribuir mais e melhor para o bem comum da OutSystems e participar na contínua evolução da empresa. Só com uma cultura forte, com equipas inovadoras e motivadas, é que conseguimos suster o crescimento da empresa.

Um dos principais resultados visíveis desta aposta constante nas pessoas, além do aumento das receitas e da nossa carteira de clientes, é, por exemplo, o crescimento da nossa comunidade de developers, que conta com clientes e colaboradores, e da nossa rede de parceiros.

 

Nunca como hoje o tema da atracção e retenção de talento tem estado tanto destaque. E a vossa área de actuação é das que mais tem sentido a escassez de talento. Como encaram e dão resposta a esta realidade?

Em posições que exigem um perfil mais técnico sente-se mais essa dificuldade. Na OutSystems tentamos dar resposta a este desafio promovendo um excelente ambiente e condições de trabalho, benefícios e programa de progressão e avaliação contínua.

 

Se tivesse que identificar só um factor, qual escolheria com aquele que mais contribui para tornar a OutSystems uma empresa atractiva para trabalhar?

A OutSystems é uma empresa tecnológica que, para além de ter um produto inovador e desafiante, está a crescer. No entanto, consegue manter uma cultura de proximidade com os colaboradores, que até já foi alvo de estudo por parte de universidades. Existe um sentimento de ser como uma segunda casa e uma segunda família, baseando os seus valores na cooperação e transparência entre os colaboradores. Esta cultura é o que define e destaca a OutSystems de outras no mercado. Não é por acaso que nos últimos anos temos sido nomeados pela Forbes como uma das melhores empresas para trabalhar.

 

Como é que os colaboradores têm acompanhado e “vivido” o crescimento da OutSystems e todo esse reconhecimento internacional, não só pela Forbes, mas também pela Gartner ou a Forrester, que a citam frequentemente como caso de sucesso?

O sentimento comum a todos os colaboradores na OutSystems face a estes reconhecimentos é sempre de grande orgulho. Cada colaborador sente-se parte da empresa e como tal torna-se fácil a partilha em redes sociais e a realização de comemorações internas pelos vários momentos importantes da empresa. Toda a equipa trabalha com o intuito de atingir o próximo objectivo.

 

Quais os vossos principais desafios a curto/ médio prazo, nomeadamente no que respeita à Gestão de Pessoas, e que objectivos se propõem atingir?

Recrutamento e rapidez no desenvolvimento de competências que o negócio precisa. Por outro lado, com toda a inovação associada ao nosso produto e negócio, cada vez precisamos de ser mais rápidos e criativos na forma como se desenvolvem competências na OutSystems, por isso toda a vertente de Learning & Development tem grande foco.

 

Que tendências perspectiva neste âmbito?

Trabalho remoto e modelos de trabalho flexível são as tendências que, sendo já de alguma forma realidade, se vão assumir como escolhas relevantes para garantir o talento que o negócio precisa. Este cenário pressupõe um conjunto de desafios internos como onboarding, comunicação, desenvolvimento, e gestão de equipas remotas.