transformar possibilidades em realidade

A AbbVie acredita que são pessoas, as suas pessoas, que transformam as possibilidades em realidade. E por isso a atração e retenção de talentos é uma prioridade nesta empresa farmacêutica, e também um dos principais desafios que Célia Santos assume enquanto directora de Recursos Humanos da AbbVie Portugal. A resposta, acredita, está na aposta do bem-estar dos colaboradores.

 

O setor farmacêutico tem enfrentado várias mudanças recentemente, tendo que se reinventar para continuar competitivo. Quais os principais desafios que enfrentam atualmente?

O setor farmacêutico é, provavelmente, uma das áreas mais competitivas e os desafios são, portanto, muitos. Mas, para não me alongar muito, destacaria um com enorme impacto, não só na indústria farmacêutica mas em toda a sociedade: a sustentabilidade da saúde. Esse é provavelmente o maior desafio com que nos confrontamos actualmente e com o qual temos, na AbbVie, um forte compromisso. 
Prova disso é a discussão que promovemos todos os anos na conferência AbbVie|TSF|DN, mas também o trabalho que desenvolvemos com os parceiros procurando soluções comuns que sejam apropriadas para todos e que não comprometam a sustentabilidade da saúde.  
Outro dos desafios tem a ver com o posicionamento que queremos assumir no setor e a diferenciação face aos competidores. Impusemos a nós próprios, como desafio, ir além da própria Medicina. Ou seja, temos com objetivo claro, ter um impacto positivo na vida dos doentes através do desenvolvimento de soluções terapêuticas inovadoras, mas queremos ir mais longe. Queremos também ter um papel positivo na sociedade, actuando de forma ética e exemplar, e procurando contribuir para mudanças positivas no seio da comunidade.

 

Como é que a área de Gestão de Pessoas tem ajudado a dar resposta a esses desafios do negócio?

Na AbbVie não temos qualquer dúvida que são as pessoas que fazem as organizações e que é delas que depende o sucesso da companhia. Assim, é uma área fundamental para garantirmos que temos connosco as pessoas certas: pessoas qualificadas, mas também que se identifiquem com os nossos valores. 
Procuramos pessoas entusiasmadas, que valorizam o trabalho de equipa, capazes de lidar com a pressão do tempo e de tomar decisões rapidamente, que sejam ágeis e não temam obstáculos, que não tenham medo de dizer o que pensam e que aceitem as críticas de forma construtiva. Queremos pessoas determinadas em mudar a vida dos doentes de forma positiva, pessoas com uma curiosidade infinita e obstinadas em transformar as possibilidades em realidade. 
A nossa força para enfrentar todos os desafios com os quais nos confrontamos é, sem dúvida, a cultura AbbVie, os nossos colaboradores e a forma como trabalhamos. São características muito nossas, que nos distinguem dos demais e que têm ditado o nosso sucesso. 
Somos uma organização muito coesa e trabalhamos todos os dias sob o lema “All For One AbbVie”. Isto quer dizer que a nossa atenção está focada no alcance do sucesso para a companhia, que tomamos decisões tendo em mente o bem comum e que atingimos os objetivos juntos: inspirando, partilhando e criando em equipa. Só assim, com uma equipa forte e coesa, conseguimos fazer face aos desafios.

 

Qual o posicionamento e importância estratégica que esta área assume na empresa?

A Gestão de Pessoas é uma prioridade para a companhia e assume uma grande importância ao nível estratégico, uma vez que acreditamos que esta área é uma das chaves para o sucesso do negócio. Só atraindo e retendo os melhores talentos podemos ter uma companhia como a AbbVie. E prova da importância desta área para a empresa é que temos várias pessoas altamente qualificadas no departamento de Recursos Humanos, que trabalham todos os dias arduamente para zelar pelo bem-estar dos colaboradores e motivar as equipas.  

 

Ficaram classificados em primeiro lugar no ranking de 2018 das Melhores Empresas para Trabalhar em Portugal, do Great Place to Work, tendo também conquistado o prémio Igualdade de Género. Partilhe algumas práticas que acreditam que estão na origem desta distinção.

Quero começar por dizer que, na AbbVie, somos uma organização apaixonada, diversificada e inclusiva com uma cultura que apoia as melhores ideias, independentemente do género ou de outros aspectos como a raça, etnia, orientação sexual ou deficiência. Todos trabalhamos em conjunto com um espírito de colaboração, respeito mútuo e entusiasmo, tendo em mente o mesmo propósito: ter um impacto positivo na vida dos doentes e na comunidade. 
Relativamente ao prémio Igualdade de Género, é de salientar que, na AbbVie Portugal, mais de metade dos cargos de chefia são ocupados por mulheres (56%), contrariando assim a tendência dos indicadores nacionais que estimam que, em Portugal, a grande maioria destes cargos são exercidos por homens (62%). 
E se somos um “great place to work” é porque o bem-estar dos colaboradores é a nossa prioridade. Trabalhamos todos os dias para ser um local de trabalho onde as pessoas se sintam bem e queiram estar. Às vezes, pequenos gestos podem mesmo fazer a diferença: temos sempre fruta fresca no escritório, massagens e aulas de pilates uma vez por semana e vamos promovendo muitas outras iniciativas, como workshops de mindfulness e de alimentação saudável. Estes são apenas alguns exemplos de algumas das nossas práticas. 
É muito importante para nós sentir que quem trabalha connosco se sente realizado profissionalmente, mas também enquanto pessoa. Por isso, destacaria também o envolvimento dos colaboradores nos projectos de responsabilidade social que temos desenvolvido pois sentem que, além do impacto na vida dos doentes, juntos podemos também ter impacto na comunidade em geral. Isso deixa-nos, a todos, extremamente orgulhosos. 

 

Quais os principais desafios, atualmente, em termos de gestão das vossas pessoas?

A aposta no bem-estar dos colaboradores da AbbVie procura dar resposta a um dos maiores desafios na Gestão de Pessoas: a atração e retenção de talentos. 
Neste momento estamos inseridos num mercado de trabalho dinâmico e altamente competitivo, mas acreditamos que a nossa cultura, os valores que defendemos e a nossa forma de estar são uma das nossas maiores forças. E, não temos dúvidas, que são também uma âncora na atração, formação e retenção de talentos. Os nossos colaboradores são apaixonados pelo que fazemos e inspirados pelo impacto que podemos ter na saúde das pessoas e comunidades em todo o mundo. 
Manter connosco os talentos que têm feito o sucesso da AbbVie é de facto um grande desafio, ao qual procuramos responder criando oportunidades de desenvolvimento e crescimento profissional. Temos alguns exemplos práticos, como a promoção de movimentações e Short-Term Assignments, que permitem que os colaboradores adquiram novas competências e se preparem para assumir funções de maior responsabilidade.
No fundo, na AbbVie, envolvemos ao máximo os nossos colaboradores, procurando que estes sejam e se sintam parte integrante na companhia, e que a defendam como se fosse sua.

 

Perspetiva grandes mudanças na Gestão de Pessoas, nomeadamente nas formas de trabalhar? 

É provável que surjam mudanças nas formas de trabalhar. Faz também parte da cultura AbbVie estar aberto à mudança e à experimentação, não ter medo de tentar algo novo. Se essas mudanças forem positivas, se trouxerem algo de benéfico para os colaboradores e para a companhia, não hesitaremos em implementá-las. 
Sem esquecer que estamos também muito atentos à opinião dos colaboradores e é com uma grande abertura que promovemos o diálogo e recebemos as sugestões de todos os que fazem parte da AbbVie. É importante saber e perceber como as nossas pessoas se sentem para poder melhorar sempre, e cada vez mais, o nosso ambiente de trabalho. 

 

Que objetivos pretendem alcançar a curto/médio prazo, não só em termos de negócio, mas das vossas pessoas?

Relativamente às nossas pessoas, aquilo que desejamos, não só a curto/ médio prazo, mas sempre, é que vivem a cultura AbbVie e que defendam a companhia como sendo delas. Este é certamente o nosso objetivo principal. Para o alcançar é fundamental que se sintam valorizadas e que sintam que estão a crescer a nível profissional, e até enquanto pessoas. 
Em termos de negócio, e com a ajuda dos colaboradores e da nossa forte cultura, queremos reforçar a posição da AbbVie enquanto companhia farmacêutica líder em várias áreas terapêuticas e enquanto parceiro de excelência na construção de um sistema de saúde mais sustentável. 

 

Entrevista a Célia Santos, directora de Recursos Humanos da AbbVie Portugal

< voltar à página anterior