mas afinal o que move os perfis de IT?

Os perfis de IT são os mais procurados e os mais dificeis de encontrar. Nesta procura pelo "Wally" a melhor estratégia é conhecer o que motiva e guia estes profissionais na sua estratégia de carreira.

O estudo do Randstad Employer Brand Research 2018 considera a população ativa portuguesa e identifica esses mesmos drivers.
O salário deixou de ser o único ponto de decisão chave há muito tempo e deu lugar a "perks" como a flexibilidade de horário, o ambiente de trabalho e um dia-a-dia que garanta o  equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

É necessário ainda ter em conta a faixa-etária. Diferentes idades correspondem a diferentes necessidades que as empresas devem estar a par para conseguirem atrair novos candidatos e igualmente reter os seus talentos de IT.

No vídeo pode conhecer estas diferenças e trabalhar a sua estratégia de employer branding para garantir que consegue não só encontrar o Wally, mas também integrá-lo na sua organização.



< voltar à página anterior