Já imaginou o local de trabalho em 2020?

Se pensam que as tendências, práticas, expectativas e tecnologia usada no local de trabalho estão atualizadas, talvez seja melhor repensar, já que é provável que esteja na altura de fazer algumas atualizações. Isto porque as novas gerações e tecnologias irão transformar o local de trabalho até 2020.
Atualmente, muitas empresas estão a passar por uma transformação digital. A inteligência artificial, a cloud, as tecnologias móveis e o aumento da automatização deram-lhes capacidade para transformar todos os aspetos do seu negócio. A utilização da tecnologia e a digitalização de todos os setores do negócio terão um impacto fundamental nas tendências dos locais de trabalho de 2020.

A morte do escritório
O local de trabalho global em 2020 vai ser menos centralizado, extremamente móvel e mais flexível. No futuro, trabalharemos facilmente a partir do conforto da nossa casa sem termos de estar fisicamente presentes no escritório.
Ainda mais interessante, o local de trabalho do futuro será mais virtual, e haverá mais ferramentas para monitorizar se os colaboradores estão a trabalhar ou não.
À medida que o mundo se aproxima da “morte do escritório”, as tendências do local de trabalho de 2020 vão ser aceleradas por uma adesão mais rápida à tecnologia móvel, e o escritório não terá de ser num local fixo. E à medida que os freelancers se tornam o segmento de crescimento mais rápido da economia, as empresas irão depender mais de mão-de-obra externa.
As tendências do local de trabalho do futuro serão caracterizadas por colaboradores millennial e da Geração Z. E estas gerações precisam de autonomia e flexibilidade. Isto significa que a cultura do local de trabalho tornar-se-á tão importante como o salário e os benefícios.

Ser digital e estar centrado nos colaboradores irá exigir uma crença no poder das últimas tecnologias de consumo dentro dos Recursos Humanos (RH). Para se prepararem para o futuro, devem:

1 – Concentrar-se na criação de uma excelente employee experience
A employee experience é a capacidade de ver o mundo através dos seus olhos, criando uma ligação com eles e tendo noção dos seus feitos. É preciso desenvolver uma experiência de colaborador que tenha em conta o ambiente físico em que os trabalham, além das tecnologias e ferramentas que possibilitam a produtividade.
Fazer do local de trabalho uma experiência permitirá incutir a cultura e os valores organizacionais e usar isso para recrutar e reter talento de topo.

2 – Usar uma abordagem ágil para recrutar e desenvolver colaboradores
A abordagem ágil é usada maioritariamente no desenvolvimento de software para ajudar as empresas a trabalharem com velocidade e serem capazes de gerir a imprevisibilidade, mas aplica-se igualmente no recrutamento e desenvolvimento dos colaboradores e das suas competências.
No local de trabalho de 2020, terão de usar esta abordagem para recrutar e desenvolver os colaboradores. Deve ser fácil para os colaboradores encontrar, classificar, identificar e consumir aprendizagem em todos os aspectos do negócio.

3 – Criar espaços que promovem a cultura
A maior parte dos locais de trabalho foram concebidos para extrovertidos e para a sua necessidade de estímulos frequentes. Contudo, é importante perguntar como acomodar introvertidos e extrovertidos no local de trabalho, para assegurar que as necessidades de ambos os estilos são satisfeitas.
Além da criação de locais de trabalho móveis e flexíveis, é preciso assegurar uma adaptabilidade total para reter o talento de topo.
Um relatório da Steelcase indica que os colaboradores que têm controlo sobre onde e como trabalham e que são livres de escolher um local de trabalho que seja adequado para a tarefa em mãos são 88% mais empenhados no trabalho.

4 – Aplicar uma perspectiva de marketing de consumidor nos RH
Candidatos e colaboradores têm ferramentas para oferecer feedback imediato aos empregadores, as quais podem ser usadas para classificar a cultura e a gestão de uma empresa. Será precisa uma gama de ferramentas de marketing de consumo como o design thinking e a análise de sentimentos a fim de criar uma experiência envolvente para o colaborador. É aqui que entra o big data. 
Na era digital de hoje, quase todas as interações que temos com ferramentas, clientes ou até membros da equipa geram dados. As tendências dos locais de trabalho do futuro irão girar à volta da recolha, assimilação, racionalização e análise de dados. 
Depois será preciso tomar medidas para agir consoante a análise resultante. Usar as descobertas para ajustar ou renovar as estratégias de forma a torná-las mais eficazes.

5 – Experimentar chatbots nos RH
Segundo a IDC, a inteligência artificial é um enorme mercado que passará dos sete mil milhões de euros deste ano para 40 mil milhões em 2020. Terão de se criar bots para oferecer experiências personalizadas online, os quais serão capazes de lidar com muitas tarefas do recrutamento, como a sugestão de perguntas em entrevistas ou a procura de candidatos semelhantes no LinkedIn.
A automatização irá incutir-se em mais aspetos da vida profissional e pessoal. Por isso, será difícil diferenciar o que é feito por uma pessoa ou uma máquina. A natureza fundamental da forma como as pessoas trabalham será completamente transformada e terão de trabalhar com mais inteligência para oferecerem soluções eficazes rápida e adequadamente.

6 – Preparar para os novos cargos de RH
Até ao ano 2020, veremos alterações fundamentais nos RH. Terão de criar uma experiência mais personalizada para o colaborador, estimulada pela inteligência artificial. Vários cargos de RH tornar-se-ão mais especializados e técnicos.

7 – Concentrar no desenvolvimento da equipa e não apenas no desenvolvimento individual
Embora os departamentos de RH se concentrem tradicionalmente em colaboradores individuais, em 2020, o desenvolvimento de equipas que conseguem trabalhar eficazmente em conjunto tornar-se-á a principal prioridade para a maior parte das organizações. Os grandes feitos serão atingidos através de equipas e não com indivíduos a trabalharem sozinhos.
Para a dinâmica de RH de 2020, o objetivo será educar as pessoas sobre a melhor maneira de colaborar eficazmente com os membros das equipas, e aprender a contribuir em projectos ao fazerem-se contributos de equipa em oposição a contributos individuais. 

Para ajudar as organizações a caminhar para as tendências do futuro no local de trabalho, será importante determinar os pontos fortes e fracos das empresas, procurar oportunidades de integrar tecnologia e ter objectivos claramente definidos.

 

Por Nikos Andriotis, TalentLMS

 
< voltar à página anterior