está à procura de emprego? saiba como ganhar vantagem competitiva

No que toca a fazer a ligação à oportunidade certa de emprego, o sentido de oportunidade não é tudo, mas já é alguma coisa.



Estar no sítio certo à hora certa é, muitas vezes, a principal razão por que as pessoas são contratadas em detrimento de outras. Mas como saber se a procura de emprego está a ser feita na altura certa? Afinal de contas, existem tantos factores como taxas de rotatividade, necessidades sazonais e relatórios trimestrais – já para não falar da economia. E é suposto conseguirmos atingir estes alvos em movimento e arranjar um emprego.

Mas não desesperem. Um dos aspectos da procura de emprego é ter em conta o ciclo de recrutamento. Tal como acontece na maioria dos cargos, as actividades de recrutamento e contratação têm altos e baixos e, se prestarmos atenção, é possível enviar uma candidatura numa altura em que um responsável por uma contratação está mais disposto a aceitar talento novo. Assim, os ciclos de recrutamento podem, e devem, ser tidos em conta na procura de emprego.



Tendências gerais de recrutamento ao longo do ano




Para ser contratado, é preciso pensar como um recrutador, nomeadamente descobrir quando a procura de novos colaboradores é mais alta. É fácil pensar nas contratações em estações:

∙ Inverno: «O primeiro trimestre do ano novo é sempre uma altura ocupada para recrutar porque os novos orçamentos estão a começar», afirma Paul Feeney, sócio da AutoKineto, uma recrutadora internacional de executivos na área dos automóveis. Os colaboradores normalmente tiram menos dias nesta altura do ano porque estão a chegar da época do Natal, o que também ajuda a acelerar o processo no primeiro trimestre. 

Para quem procura emprego a nível executivo, a primeira metade do ano é a melhor altura para recrutamento e contratação, afirma Howard Seidel, sócio sénior da Essex Partners, uma empresa de consultora na área de gestão de carreira e desenvolvimento de liderança. «Embora a contratação de executivos possa acontecer a qualquer altura, a procura de executivos seniores tem alturas em que tende a ser mais activa – de Janeiro até meados de Junho é a altura com menos interrupções», declara.

∙ Primavera: É quando os recrutadores tentam ir buscar quem está a acabar a faculdade, explica Feeney. «As empresas começam a recrutar na Primavera para que todos estejam a bordo no dia 1 de Junho».

∙ Verão: Assim que chega o Verão, espera-se um abrandamento no recrutamento, já que as pessoas começam a tirar férias e os escritórios entram numa altura mais relaxada, com horários flexíveis, diz Feeney.

Isto não quer dizer que não vale a pena procurar um emprego no Verão; simplesmente o processo será mais lento. «A procura de emprego que começa mesmo antes ou durante o Verão pode tender a arrastar-se, principalmente para os cargos mais altos que exigem entrevistas com várias pessoas dentro da organização», revela Seidel.

∙ Outono: Assim que chega esta estação e os colaboradores regressam, o recrutamento/contratação recomeça para quaisquer cargos disponíveis antes de chegar a altura do Natal (e para aproveitar os orçamentos antes que esgotem).



Excepções à regra




É importante reconhecer que algumas empresas e sectores têm ciclos de recrutamento únicos.

Por exemplo, de Janeiro a Abril é o ponto alto dos profissionais da contabilidade e impostos, por isso pode não haver muitas vagas para quem procura esse tipo de cargo no primeiro trimestre. «O resto do ano é quando as empresas se concentram no recrutamento, porque querem sempre ter toda a gente disponível antes de começar a época mais atarefada», faz notar Feeney.

Para os professores e outros colaboradores das escolas, o recrutamento começa no início do Verão para substituir as pessoas que decidem não voltar no ano lectivo seguinte.

Prestar atenção às tendências económicas no sector também pode ajudar a prever quando os recrutadores estarão à procura. «Algumas posições estão frequentemente dependentes das necessidades específicas de uma empresa num mercado económico actual – por exemplo, durante um boom na construção ou no imobiliário», afirma Seidel.



Como trabalhar os ciclos de recrutamento




Para compreender melhor quando as contratações estão abertas na vossa área, tentem estas estratégias:

- Pensar antecipadamente. Os orçamentos para algumas contratações, principalmente para cargos novos na empresa, muitas vezes são agrupados no orçamento do ano fiscal seguinte. «Consequentemente – explica Seidel –, os empregadores começam a procura antes do ano fiscal para terem alguém quando os fundos ficam disponíveis para a contratação seguinte. Isso significa olhar para lá do Outono para cargos que podem não começar antes de Janeiro, dependendo do ano fiscal da empresa.» Ou seja, se querem começar um emprego novo em Janeiro, não esperem até ao Inverno para mandar o currículo – comecem a procurar anúncios de emprego no Outono.

- Criar networking durante as épocas baixas. Segundo Seidel, pode oferecer boas oportunidades porque durante os meses mais calmos de Verão e na altura do Natal as pessoas têm mais tempo livre para se ligarem e para estar mais relaxadas quando o fazem. É também uma boa altura para marcar entrevistas informacionais.

- Procurar informações nas redes sociais. Analisem as redes sociais para tentarem compreender como estão as contratações e quando têm maior probabilidade de acontecerem. É possível perceber um padrão em particular. «Ou é possível chegar directamente a alguém que trabalha na empresa e perguntar os ciclos de contratação», diz Seidel.

Por fim, se existe uma empresa em particular em que estejam interessados, mantenham-se actualizados em relação a notícias que possam indicar que está prestes a começar um boom na contratação – expansão, novas linhas de produção, entrada de capital, etc.

Em alturas de falta de talento, as coisas movem-se rapidamente. Se um cargo está disponível e as empresas esperam contratar brevemente, não existe uma época baixa. 

Independentemente da altura em que se procura trabalho, a melhor abordagem é esperar uma corrida rápida, mas planear uma maratona. «E tal como a preparação para uma maratona – diz Seidel –, é preciso treinar diariamente fazendo networking, pesquisas e procurando activamente oportunidades.»



Devem ter em mente que os recrutadores são afectados por muitas variáveis, incluindo as condições de mercado, do sector, ter de preencher cargos inesperadamente e, por isso, podem surgir oportunidades em qualquer altura.



Fonte: Monster.com




< voltar à página anterior