employer branding

A marca tem um papel fundamental na decisão de consumo, mas qual será a sua importância quando procuramos um emprego?

A resposta não é óbvia. A percepção que temos das empresas não é proporcional ao seu ranking de awareness ou a uma decisão de consumo. A relação laboral é uma relação que se quer séria e a longo prazo, baseada em reciprocidade, com direitos e obrigações que não estão ligados a uma decisão impulsiva, mas sim a uma escolha ponderada. Mas também se baseia em percepções, também desperta paixões e interesses, exige entrega e tem também uma identidade própria que se trabalha e que é decisiva para captar os principais talentos e conseguir reter os mesmos.

Assim, coloca-se a questão quais as marcas com maior employer branding?

O primeiro passo é conhecer os “consumidores” e perceber o que estes valorizam no processo de decisão. Verificamos que em 23 países o principal critério de escolha é o salário e os benefícios, independentemente do género, idade ou nacionalidade. Os critérios seguintes já são menos consensuais, por exemplo na Alemanha valoriza-se a segurança profissional, na Suécia o tipo de trabalho e na Holanda o ambiente profissional. Na Índia  o destaque vai para as oportunidades de carreira internacional e nos Estados Unidos a formação e a liderança forte da empresa.

A idade também altera as prioridades, a faixa dos 25-44 anos destaca o equilíbrio vida privada vida profissional, enquanto que os menos de 25 olham para a qualidade da formação e o tipo de trabalho. Nos motivos que levam ao turnover, o salário tem impacto, mas o balanço entre a vida pessoal e profissional parece ser a chave para manter cerca de 46% dos seus colaboradores.

Estas são apenas algumas das conclusões do Randstad Global Awards, maior estudo de employer branding baseado nas respostas de 225 mil pessoas e da análise de 150 empresas em cada um dos 23 países abrangidos por este estudo (equivalente a 75% da economia mundial). Este ano 56,3% dos inquiridos identificou a área de IT como a mais atractiva e a Microsoft foi a marca com maior employer branding numa perspectiva global, seguida da Sony e da Samsung. Esta escolha não representa o employer branding local, uma vez que apenas nos Estados Unidos é que a Microsoft foi distinguida com este prémio.

Para o ano, a Randstad Portugal vai entrar neste estudo e conta com o ICMA group para conhecer quais as marcas com maior atractividade no nosso país.

 

Inês Veloso

Marketing and Communications Manager da Randstad Portugal

< voltar à página anterior