atrair grandes talentos

Na falta de candidatos qualificados, o que é que faz com que a sua oferta se diferencie? 

Na Randstad CPE estamos a assistir ao dilema de recrutamento que surge em momentos concretos: projectos, que durante a recessão se encontravam em segundo plano têm, de repente, luz verde.

 "Algumas organizações pretendem procurar talento, oferecendo incentivos acima do mercado, mas as organizações mais perspicazes serão capazes de se auto-promover e de promover os seus valores, o que se torna mais sustentável", diz Helen Paterson, Responsável pelas Contas Estratégicas, na Randstad CPE.

Existem estratégias definidas que fazem com que a sua marca se diferencie das demais. Mas há apenas uma qualidade de que precisará para alcançar essa posição.

 

Tenha confiança 

De uma coisa estamos certos: o que move o mercado, em particular, é a confiança – a de que os pedidos vão chegar e que planos de recrutamento podem ser feitos. Mas num mercado onde os candidatos sabem que existe procura para as suas competências, cabe aos empregadores terem confiança na sua marca, mostrarem confiança em quem são, e até onde podem levar aqueles que desejam ter lugar no seu negócio.

 

Promova os valores que os empregados procuram 

A investigação conduzida pela Ashridge Business School em Novembro de 2012 (no seu artigo, a Geração Y e os seus Gestores) revelou que a Geração Y - aqueles nos seus 30’s - não aspiram ter os mesmos cargos que os seus gestores, mas desejam trabalhar para uma empresa onde compartilham um conjunto semelhante de valores. Na verdade, esta investigação revelou que procuram activamente estas empresas.

A pesquisa demonstra que mais de 75% dos graduados quer trabalhar para organizações com as quais se podem afirmar orgulhosos de lá trabalhar, enquanto 68% querem trabalhar em organizações que possam recomendar como sendo excelentes lugares para trabalhar.

Na Randstad acreditamos que empresas nestes sectores se devem posicionar, não apenas como destinos para pessoas tecnicamente qualificadas, mas como locais de trabalho onde os empregados poderão desfrutar de um percurso profissional gratificante numa empresa culturalmente alinhada com os seus próprios valores.


recrutar pela atitude mais do que pelas qualificações

Robert Beecham, Gestor de Contas Estratégicas na Randstad CPE, afirma que as organizações nestes sectores estão frequentemente tentadas a dar preferência a candidatos com CVs de qualificações técnicas adequadas. Mas esquecem-se de vender a cultura organizacional, à qual os melhores candidatos irão responder.

Diz: "A importância das competências menos qualificadas que um trabalhador possui tem aumentado em todos os sectores em que a Randstad CPE recruta. No entanto, um pacote completo de competências técnicas e profissionais nem sempre existe.”

"Encontrar alguém cujas qualidades correspondem à filosofia da empresa pode valer muito mais do que qualificações técnicas e competências que podem ser ensinadas - desde que essa pessoa demonstre um interesse genuíno na função e desejo pela aprendizagem.”

"Excelente comunicação e trabalho em equipa estão agora no topo da lista das qualidades desejáveis para os candidatos, bem como uma boa apresentação, pontualidade e seriedade. Se os gestores se rodearem de pessoas que se destacam em competências menos qualificadas, vão certamente ajudar a estimular e desenvolver os outros em seu redor. "


destacar-se da concorrência

As organizações estão hoje a trabalhar arduamente para cultivar valores de marca locais e nacionais, numa tentativa de atrair os melhores candidatos. Beecham afirma que tudo aquilo que o possa posicionar à frente da concorrência merece ser aclamado: "Os clientes gostam de vender as suas políticas de RSE, o seu design inovador, estratégias empresariais, ferramentas de marketing e iniciativas verdes."

No início deste ano, a Harvard Business Review concluiu que dois terços dos empregados se preocupam mais hoje com a sustentabilidade do que há três anos atrás.

"É importante ser diferente e tentar liderar o mercado em práticas empresariais inovadoras. Há muitas formas de se diferenciar, mas são essas empresas que investem tempo em perceber como melhor funcionam, sem terem receio em implementar mudança, que são mais bem-sucedidas."

 

Este artigo foi publicado pela primeira vez em : www.randstad.co.uk

< voltar à página anterior