as práticas da força de trabalho estão em conformidade?

Num ambiente regulamentar cada vez mais complexo, disponha da estrutura e dos recursos adequados para garantir a total mitigação de riscos

Actualmente, os líderes de aquisição de talentos enfrentam muitos desafios: procura de competências críticas para orientar o crescimento do negócio, manter os custos laborais controlados mesmo quando a competição por talentos aquece, e melhorar a eficácia e a transparência do processo. No entanto, um desafio está cada vez mais presente em mente – cumprir todas as normas laborais relevantes e o código de conduta interno. Apesar da sua importância, pode ser surpreendente saber que muitas entidades empregadoras não dispõem da estrutura, dos conhecimentos e dos recursos regulamentares necessários para permanecer em conformidade em todos os locais onde efectuam negócios.

É um desafio compreensível. Em todo o mundo, as leis laborais são altamente dinâmicas e estão em constante mutação. Não existe nenhuma falta de regulamentos urgentes, independentemente da geografia. Por exemplo, a Lei do trabalho e segurança Holandesa de 2014 altera significativamente o número de contratos sucessivos que as entidades empregadoras podem celebrar com um trabalhador temporário. Nos Estados Unidos, o Affordable Care Act (Obamacare) tem levado muitas entidades empregadoras a esforçar-se arduamente para cumprir os requisitos de saúde. Na Índia, a primeira-ministra recentemente eleita, Narendra Modi, anunciou uma série de reformas laborais, destinadas a atrair investimentos empresariais. Estes países são apenas alguns dos muitos que estão a rever as suas leis laborais.

Além das autoridades nacionais, uma série de outras entidades jurídicas dispõem dos seus próprios regulamentos aos quais as entidades empregadoras devem aderir. Os regulamentos locais podem ser mais complicados uma vez que exigem que as empresas dediquem recursos em muitos níveis. Por exemplo, muitos estados dos EUA promulgaram recentemente uma legislação pró-laboral destinada a impedir abusos dos empregados, erros de classificação dos empregados e discriminação. No extremo oposto do espectro, tratados internacionais tais como os da UE que regem a privacidade de dados ou as sanções da ONU sobre o comércio com determinados países também exigem às entidades empregadoras que prestem atenção. 

 

O custo de se manter actualizado 

Possibilitar que as organizações que operam em vários países e em várias jurisdições, permaneçam actualizadas em relação aos regulamentos, pode constituir um custo pesado. Em primeiro lugar, existem os recursos legais necessários para compreender e interpretar esses mandatos. Caso uma organização pretenda ultrapassar situações difíceis também é necessário conhecer o mercado. Por exemplo, alguns países exigem que as empresas obtenham licenças especiais para contratar empregados, enquanto outras podem exigir a entidades estrangeiras que operem em conjunto com um parceiro local. Em algumas circunstâncias, o recurso a terceiros é uma opção melhor devido aos requisitos regulamentares e às práticas culturais. E, em raras circunstâncias, as entidades empregadoras devem saber quando abandonar ou alterar drasticamente os seus planos de negócios, uma vez que os costumes locais exigem o pagamento de um suborno em troca de aprovação governamental.

Mesmo quando as entidades empregadoras têm recursos para as orientar, pode-lhes faltar a estrutura para estarem em conformidade. Especialmente em organizações complexas, ter uma força de trabalho em conformidade pode ser obscuro ou a mesma estar descentralizada. Isto pode levar a uma falta de supervisão e inconsistência na adesão a regulamentos e controlos internos. Um bom exemplo disto são os riscos associados ao recurso a empregados independentes, onde os gestores de contratação os gerem muitas vezes como se fossem empregados sem saber que não são. Isto representa um potencial para erros de classificação, os quais podem resultar no pagamento de multas e de impostos relativos a anos anteriores.

Então, como podem as entidades empregadoras ficar tranquilas sabendo que a gestão da sua força de trabalho permanece em conformidade com a lei em todos os locais onde operam?

 

Seguir princípios fundamentais

Enquanto líder global no mercado de talentos, a Randstad opera em 39 países e oferece apoio aos clientes em muitos mais. Muitas vezes ouvimos as suas preocupações relativamente às regras que cobrem o suborno e a corrupção, as sanções do controlo de exportação, a privacidade de dados e a protecção dos empregados. O melhor conselho é sempre compreender os riscos e, em caso de dúvida, seguir os seus princípios fundamentais. Não existem atalhos quando respeita a questões de conformidade. Por vezes, a melhor resposta é seguir o caminho mais longo – Conceber soluções que exigem mais esforço de todos mas que, no final, mitiga a maioria dos riscos.

Como prestadores de serviços de RPO e MSP, oferecemos programas que ajudam os clientes a adquirir os melhores talentos sempre com o máximo de conformidade. Fazemos isto utilizando a nossa profunda compreensão dos mercados e dos regulamentos locais. Muitas vezes as entidades empregadoras procuram os nossos conselhos uma vez que a nossa pegada global de relações públicas e recursos jurídicos se estende por muitos mercados, proporcionando a visão que pode faltar às suas próprias infra-estruturas. Em alguns casos, o que dizemos não é o que pretendem ouvir, mas sim o que precisam de saber. Respeitar os nossos princípios fundamentais e os dos nossos clientes pode, por vezes, constituir um desafio, mas assegura um resultado benéfico mútuo e uma parceria sustentável de longo prazo.

Operar no actual ambiente regulamentar cada vez mais complexo pode representar um tremendo risco para qualquer entidade empregadora, mas trabalhando com um parceiro experiente que entenda o ambiente regulamentar global e local pode mitigar significativamente muito desse risco, o que liberta a entidade empregadora para se focar na sua tarefa mais importante: construir a melhor força de trabalho para obter resultados comerciais.

Este artigo é apresentado originalmente na Randstad Sourceright, prestador especialista de serviços de RPO e MSP da Randstad.