agilidade, personalização e gestão humanizada

A rápida transformação digital está a impor-se nos processos de trabalho das organizações, bem como nos processos de Gestão de Pessoas, criando uma forte pressão para a agilização dos mesmos. Por outro lado, a deslocalização de centros de competência e inovação tecnológica para Portugal tem vindo a provocar escassez de mão-de-obra e pressão salarial no sector das tecnologias da informação. A constatação é de Sílvia Gusmão, directora de Recursos Humanos, Formação e Qualidade da ROFF, que acrescenta: «A agilidade e personalização dos processos são um imperativo para a criação de uma experiência positiva para todos nas organizações.» E, claro, uma gestão humanizada.

Quais são os principais desafios que o sector da Consultoria, em geral, e a ROFF, em particular, enfrentam atualmente?

 

Os últimos anos alteraram, sem dúvida, o panorama nacional e a confiança que os mercados internacionais têm em Portugal. Deste modo, à medida que o nosso negócio internacional cresce, temos que garantir que mantemos a capacidade de dar a melhor resposta aos clientes, com a qualidade e fiabilidade que nos é reconhecida. 
Assim, os nossos principais desafios, de Gestão de Pessoas, prendem-se com a identificação, desenvolvimento e, sobretudo, retenção de talentos. Ter as pessoas certas, com boas competências técnicas e linguísticas, capazes de integrar projetos de elevada complexidade, em ambiente internacional, é o nosso foco.
Paralelamente, a predominância de projetos para clientes franceses reforça a necessidade do domínio da língua. Encontrar pessoas com as competências necessárias e um bom nível de francês, tem-se revelado um interessante desafio. 

E como estão a dar resposta a esses desafios?

Investindo nos processos que permitem o desenvolvimento das condições necessárias para capacitar os colaboradores, para ultrapassarem os desafios que se apresentam, mantendo o nosso DNA, através dos seguintes pilares:
- Política de porta aberta, destacando-se a relação de proximidade com a gestão e o ambiente positivo;
- Cultura de transparência, onde procuramos escutar os colaboradores e partilhar com eles todas informações relevantes para a sua atividade;
- Cultura de responsabilização, onde se cria um ambiente de confiança e constante crescimento.

Estando o vosso negócio, nomeadamente a nível internacional, a crescer, a vossa equipa também está a aumentar?

Estamos a contratar novos colaboradores que nos apoiem nesse crescimento, de um modo sustentado. Até este momento, em 2018, já contratamos mais de 200 novos colaboradores, só em Portugal. Pretendemos manter este ritmo de contratação para 2019, mantendo o investimento na contratação de recém-licenciados.

Que perfis procuram? 
Na ROFF, estamos a reforçar as equipas, principalmente, dos escritórios de Lisboa, Porto, São Paulo e Singapura.
Neste momento temos 17 oportunidades disponíveis, sendo que procuramos especificamente consultores com experiência em algumas áreas específicas de SAP. Temos como principais necessidades a contratação de consultores para SAP Logistics, CO, Fiori, HCM, consultores Outsystems, ECM, xECM, OpenText, Livelink e SAP EIM.
Paralelemente, procuramos constantemente perfis jovens, sem experiência SAP, mas com formação superior, preferencialmente em Gestão, Gestão Informática, Sistemas de Informação, Logística e Engenharias, para a ROFF Academy Begin, a nossa academia de formação de colaboradores. Para a identificação destes perfis, estamos a apostar investir fortemente na nossa presença em eventos de recrutamento e feiras de emprego.

O que justifica a aposta numa academia para recém-licenciados?
Investir no recrutamento de recém-licenciados é investir no futuro da ROFF, pois permite-nos integrar na empresa novos talentos. 
Paralelamente, a existência de diferentes gerações na organização, possibilita-nos manter um ambiente interno diversificado, o que é essencial para o desenvolvimento sustentado de uma empresa.
A ROFF Academy permite aos recém-licenciados beneficiar de formação específica que os aproxima da realidade do mercado de trabalho, com a oportunidade de integrar de imediato projetos reais. Por outro lado, a ROFF apoia e garante que os seus colaboradores obtêm a formação adequada, preparando-os para desenvolver projetos na sua área de negócio. Consideramos que se trata de uma aposta win-win, tanto para a ROFF como para os colaboradores.

Têm sido considerados como uma das Melhores Empresas para Trabalhar em Portugal, pelo Great Place to Work. Partilhe algumas práticas que acredita que estão na origem desta distinção.
As políticas de Gestão de Pessoas na ROFF proporcionam as bases para que todos contribuam para a criação de um ambiente onde o trabalho de equipa e o companheirismo imperam. Algumas das práticas que sustentam este ambiente, são:
- Flexibilidade de horários e trabalho remoto para acompanhamento escolar e médico dos filhos ou familiares;
- Ambiente de trabalho divertido, com iniciativas tais como: festas no local do trabalho e zonas de lazer nas instalações;
- Todos os colaboradores têm um seguro de saúde e de vida;
- Plano de pensões no qual a ROFF apoia cada colaborador aderente;
- Consultas médicas gratuitas nas instalações da empresa;
- Serviços gratuitos de estética nas instalações da empresa;
- Serviços gratuitos de Fisiologia e nutricionista nas instalações da empresa;
- Promoção de hábitos saudáveis através da disponibilização diária de fruta e de bicicletas para utilização livre; criação de grupos dedicados à prática desportiva e de zonas de convívio equipadas com consolas de jogos para facilitar a gestão de stress; atividades de team building de caráter solidário.

O que diria que distingue o vosso ambiente organizacional?
O “espírito ROFF” e a preocupação constante com o bem-estar dos colaboradores, a promoção da camaradagem e a comemoração que se faz regularmente são outras características bem vincadas na nossa atuação.

Qual o papel e posicionamento que a Gestão de Pessoas assume no negócio?
É um dos pilares do nosso plano estratégico, dado que os colaboradores são a chave para o nosso sucesso.
Uma gestão humanizada, o desenvolvimento das competências das nossas pessoas e uma gestão responsável, são as bases para todos os processos que envolvam a Gestão de Pessoas.

Neste âmbito, quais os principais desafios que enfrentam? 
O processo de digitalização da economia e a forte tendência de deslocalização de centros de competência e inovação tecnológica para Portugal tem vindo a provocar escassez de mão-de-obra e pressão salarial no sector das tecnologias da informação. 
Por outro lado, a transformação digital dos processos de Gestão de Pessoas tem vindo a impor-se progressivamente, colocando uma forte pressão para a modernização e descentralização dos mesmos.
Contratar as pessoas certas e possuir processos de Gestão de Pessoas ágeis e personalizados, são os principais desafios que enfrentamos.

Tendo isso em conta, quais são as vossas prioridades atualmente?
Apenas colaboradores motivados apoiam a organização em todos os momentos. É este o compromisso que a ROFF tem desde a sua génese, e que é a base de todos os processos de Gestão de Pessoas.
As nossas pessoas representam a nossa principal vantagem competitiva. Acreditamos que o sucesso da ROFF está diretamente ligado ao bem-estar dos colaboradores. 
Neste momento, estamos a investir num novo modelo de avaliação de desempenho, que permite o acompanhamento contínuo dos colaboradores.


Que tendências perspetivam para esta área?
A rápida transformação digital está a impor-se nos processos de trabalho das organizações, bem como nos processos de Gestão de Pessoas, criando uma forte pressão para a agilização dos mesmos.
Por outro lado, o aumento da diversidade nas organizações, com colaboradores de diferentes gerações, diferentes culturas e nacionalidades, a coexistirem num único ambiente, obrigam as empresas a personalizar cada vez mais os seus processos, garantindo a equidade dos mesmos.
Deste modo, a agilidade e personalização dos processos, são um imperativo para a criação de uma experiência positiva para todos nas organizações.
No entanto, independentemente das tendências atuais que possam existir, consideramos que uma gestão humanizada é a base de todo e qualquer processo organizacional.

 

Entrevista a Sílvia Gusmão, directora de Recursos Humanos, Formação e Qualidade da ROFF

< voltar à página anterior