Portugal tem o melhor índice de diversidade de género no sector tecnológico na Europa, “com a proporção mais baixa de equipas exclusivamente masculinas que receberam financiamento” em 2021 (75%), revela estudo divulgado pela Atomico, “Estado da Tecnologia Europeia 2021”.

 

O relatório do fundo de capital de risco, que faz «uma análise profunda sobre o panorama da indústria tecnológica em 45 países da Europa», destacando algumas tendências chave e apresentando um diagnóstico, salienta-se que as «tecnológicas europeias estão a transformar-se em potências mundiais e Portugal acompanha a tendência de crescimento», com dois unicórnios (empresas avaliadas em mais de mil milhões de dólares), num total de 321 na Europa. 

Ainda no que diz respeito ao financiamento, «Portugal destaca-se com 54% dos inquiridos a considerar o financiamento como um desafio especial para a tecnologia europeia nos próximos 12 meses”, face a 20% dos italianos e 29% dos espanhóis que “concordam que a angariação de fundos ainda é um desafio».

«A Europa está prestes a atingir um novo recorde de investimento anual na indústria tecnológica, com um valor de 88 mil milhões de euros» em 2021, refere a Atomico no estudo.

Não obstante, o relatório salienta que «as mulheres e minorias étnicas continuam a sentir maior dificuldade na angariação de investimento, face aos homens brancos». Esta tendência mantém-se «apesar das evidências de que as equipes mistas e diversificadas apresentam um melhor desempenho”, sendo que “as mulheres angariam apenas 9% do capital investido em 2021».

«De uma amostra de 4684 empresas de tecnologia sediadas na Europa que angariam mais de 1 milhão de euros em financiamento total desde 1 de janeiro de 2020, apenas 0,7% do capital total foi angariado por fundadoras negras, 1,1% por fundadores homens negros e 22,7% por fundadoras brancas.»

Por outro lado, «33% do capital total investido, a nível global e em rondas de financiamento até 4 milhões de euros, foi em ‘start-ups’ de ‘early stage’ [empresas em início de vida] europeias». Assim, “atualmente, a Europa conta com o seu ‘pipeline’ mais forte no segmento de ‘start-ups’ em ‘early stage’ e é a segunda região do mundo com maior investimento neste segmento” a seguir aos Estados Unidos.

De acordo com o estudo, «mais de 25 mil milhões de euros foram investidos em empresas de tecnologia ‘purpose-driven’ na Europa nos últimos cinco anos, representando 15% de todo o financiamento e um aumento ano a ano de 57%”. Estas empresas têm como objetivo “o desenvolvimento para um futuro sustentável».

O estudo “Estado da Tecnologia Europeia 2021” teve por base entrevistas a «mais de 60 figuras de destaque do sector», bem como com os resultados de um inquérito realizado em Setembro e Outubro, com mais de cinco mil respostas.