aluna portuguesa integra a primeira Academia de Engenharia Randstad-Williams

A estudante portuguesa Ana Andrade de 19 anos, em representação da Didaxis – Cooperativa de Ensino de Riba de Ave, é uma das 11 alunas escolhidas para integrar a Randstad Williams Engineering Academy (RWEA). 

Esta academia nasce de uma parceria inovadora entre a equipa de Fórmula 1 Williams e a Randstad, com o objetivo de selecionar alunos de todo o mundo para desenvolverem uma carreira de engenharia na Fórmula 1. A Randstad Williams Engineering Academy é o primeiro modelo de formação no desporto de Fórmula 1 totalmente dedicado a identificar e apoiar uma nova geração de estrelas na engenharia deste desporto automóvel.

A estudante portuguesa foi selecionada juntamente com jovens de outros cinco países entre vários alunos que competiram na iniciativa “F1 in Schools World Finals 2015”, competição que se realizou em Singapura entre 13 e 16 de setembro. F1 in Schools World é uma competição global sem fins lucrativos, que desafia os estudantes a desenhar, construir e correr com carros F1 miniatura. 

Após uma série de exames escritos e exercícios de grupo, supervisionados e avaliados por uma equipa da Williams e da Randstad, os 11 alunos selecionados demonstraram total dedicação, compromisso e desempenho necessário para integrarem este programa exclusivo. O primeiro grupo de estudantes a integrar o projeto, prima pela diversidade cultural, sendo provenientes dos Estados Unidos, Alemanha, República da Irlanda, Austrália, Reino Unido e Portugal.

O primeiro ano da Academia vai iniciar oficialmente no dia 1 de outubro de 2015 e os alunos terão de completar uma série de módulos de e-learning sobre automobilismo desenvolvidos pela Williams em parceria com a Cambridge University Press, editora educacional líder no mundo. Cada aluno terá um engenheiro experiente da Williams como professor/”mentor” para guiá-los através das várias atividades de e-learning e para aconselhá-los sobre a carreira de automobilismo.

A Randstad, através da sua presença mundial e da sua vasta experiência em sistemas de educação e de formação especializada, é a parceira da Williams na avaliação contínua dos alunos e terá um papel estratégico de aconselhamento de carreira e experiência prática, bem como na criação de oportunidades de trabalho nos respetivos países de origem dos estudantes.

Sendo um modelo competitivo, cada grupo de alunos da Randstad Williams Engineering Academy é gradualmente reduzido ao longo do programa com base em critérios de desempenho. O objetivo é proporcionar aos estudantes uma graduação de sucesso na Academia para que estes se juntem à Williams após a conclusão dos seus estudos.

"Estamos muito entusiasmados por receber os primeiros alunos na RWEA. A escassez de perfis de ciências, tecnologia, engenharia e matemática é um problema mundial. Envolver uma nova geração numa fase tão inicial das suas carreiras académicas, é crucial para atenuar o défice de competências mais tarde. A RWEA ilustra o nosso compromisso no recrutamento e formação de engenheiros, e aprofunda a nossa parceria com a Williams" comenta Jacques van den Broek, CEO da Randstad.

Sobre o processo de seleção, Pat Symonds, diretor técnico da Williams, refere: "A Fórmula 1 é um desporto global e nós queremos através da nossa rede identificar algumas das estrelas mais brilhantes e os melhores engenheiros do mundo. Tanto eu como os meus colegas temos estado extremamente surpreendidos com o talento que observámos durante esta semana no F1 in Schools World Finals e este primeiro grupo de estudantes são pessoas impressionantes e com muita paixão. Trabalhar com a Randstad vai possibilitar a estes alunos uma primeira perspetiva das competências necessárias para garantirem uma carreira de sucesso na Fórmula 1. Estamos ansiosos para ver o seu progresso nos próximos anos".  

Ana Andrade, a primeira estudante portuguesa selecionada para este programa, acrescenta: "É um programa muito interessante e o processo de seleção foi também bastante agradável, tanto na avaliação do centro de Singapura como na fase de aplicação original. Ser capaz de estudar engenharia com a ajuda de pessoas que realmente sabem o que fazem e que estão no topo das suas carreiras é uma oportunidade única e estou verdadeiramente ansiosa para conhecer o meu mentor".